segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Biografia: Buckethead

 
Nome: Buckethead
Nome real: Braian Carroll
Nascimento: 1969
Origem: Califórnia, EUA
Instrumentos: Guitarra
Bandas: Deli Creeps, Praxis, Zillatron, Giant Robot, Giant Robot 2, Cobra Strike, El Stew and Arcana
Álbuns solos: Bucketheadland (1992), Giant Robot (1994), Day Of The Robot (1996), Colma (1998), Monsters And Robots (1999), Somewhere Over The Slaughterhouse (2001), Bermuda Triangle (2002), Electric Tears (2002) entre outros.
Período no GN’R: 1999 até 30 de março de 2004
  
Biografia resumida
Buckethead (Cabeça de balde) é uma das figuras mais bizarras e enigmáticas do meio underground/experimental americano desde o movimento "Parliament-Funkadelic", com suas bandas e personagens "cósmicas", na metade dos anos 70. Multi-instrumentista completo, mais conhecido por sua pegada virtuosa na guitarra, Buckethead é reconhecido como um dos artistas contemporâneos mais inovadores de hoje, com seus licks rápidos e seu estilo quase robótico de tocar, que combina elementos de guitarristas como Yngwie Malmsteen, Adrian Belew, Slayer’s Kerry King, P-Funk’s Eddie Hazel e o improvisador John Zorn’s Scud-attack (que é saxofonista).
Seu primeiro grupo, uma banda de San Francisco com estilo metal-funk, era um sucesso regional, mas terminou antes que eles pudessem lançar alguma coisa.
A carreira solo de Buckethead foi mais produtiva (ao longo da carreira, Buckethead já lançou mais de 30 discos solos e trabalhou em mais de 50), graças ao incentivo de Zorn e Bill Laswell, com os quais ele já havia excurisonado e gravado na fase em que tocava no Praxis. Laswell também pruduziu vários dos albums solo de Buckethead (incluindo Dreamtorium e Day of the Robot) e o incluiu em vários projetos com outros artistas como Hakim Bey, Bootsy Collins, Anton Fier, Jonas Hellborg, and Bernie Worrell. Além do album Colma, de 1998, Buckethead também contribuiu na trilha sonora dos filmes "O Último grande Herói" e "Street Fighter". Em 1999, já sendo membro da nova formação do Guns N’ Roses, ele lançou "Monsters and Robots" e já no século 21, lançou o contemplativo "Eletric Tears", mantendo o estilo que o caracterizou até hoje. Buckethead abandonou o Guns N’ Roses em 2004, alegando falta de interesse de Axl Rose em lançar material novo.



Buck após sair do Guns, quase excursionou com Ozzy Osbourne, porém não foi aceito por Ozzy por se negar a tocar sem mascara, conforme Osbourne conta "Eu tentei trabalhar com aquele cara Buckethead. Eu encontrei ele e perguntei se ele gostaria de trabalhar comigo, mas eu disse que ele teria que se livrar daquela porra de balde. Então eu voltei um pouco depois and ele estava usando um capacete verde do Marvin, o Marciano! Eu disse 'Cara, só seja você mesmo'. Ele me disse que seu nome era Brian, então eu disse que o chamaria assim. Ele disse 'Ninguém me chama assim a não ser minha mãe'. Então eu disse 'Então finja que eu sou sua mãe!' Eu mal tinha saido da sala e já estava fazendo jogos mentais com o cara. O que acontece se um dia ele se for e deixar um bilhete 'Evaporei'? Não me entenda mal por favor, ele é um grande guitarrista. Toca como um filho da puta"
Embora Buckethead agora trabalhe primeiramente como artista solo viajando os Estados Unidos com um trio, ele possui um grande currículo de colaborações com artistas famosos como Les Claypool, Tony Williams, Bootsy Collins, Bernie Worrell,Corey Tailor, Serj Tankian do System of a Down, Guns N’ Roses e com Bill Laswell do Praxis.
Buckethead foi aluno de Paul Gilbert, hoje muitos o consideram melhor que seu professor. Por muito tempo imaginou-se que os dois seriam a mesma pessoa, hoje em dia essa hipótese já foi descartada e existem provas de que não são a mesma pessoa, como por exemplo datas de apresentação de Paul Gilbert e Buckethead coincidirem num mesmo dia e hora em locais diferentes ou muito distantes.
APRESENTAÇÃO DE BUCKETHEAD: