quinta-feira, 19 de maio de 2011

Provaveis apresentaçoes do Pearl Jam no Brasil

Conforme noticiado na Kiss FM  o site "Grunge Report" Confirmou 4 shows do Pearl Jam no Brasil, segundo o site a banda se apresentara no dia 16 em Brasília, 18 em Belo Horizonte, 20 no Rio de Janeiro e 23 em São Paulo. As informações não são oficiais.


Segundo o site, o show no Rio de Janeiro será na Praça da Apoteóse. Nas outras cidades, os locais ainda precisam ser confirmados.
De acorodo com rumores nos últimos meses, o festival SWU está tentando fechar com a banda, que seria uma das atrações principais do evento.
A banda completa esse ano 20 anos de carreira. Como comemoração, a banda prepara o relançamento dos discos "Vs." e "Vitology", um documentário e um festival de dois dias nos Estados Unidos com bandas como Strokes e Queens of the Stone Age.

Pink Floyd: os bastidores da reunião do trio remanescente

Traduzido por Nathália Plá | Em 18/05/11 | Fonte: rollingstone.com Retirado do Whiplash
"Não tinha sido nada combinado", disse Nick Mason.
Quando o baterista do Pink Floyd Nick Mason esteve na O2 Arena em Londres na última quarta-feira ele não fazia idéia que ele daria de frente com David Gilmour e Roger Waters apresentando "Comfortably Numb" numa passagem de som para o show de Waters naquela noite. "Nada chegou a ficar acertado – houve conversas sobre talvez tocar em Paris ou algo mais," Mason disse. "Então foi muito bom chegar lá e ver que ele «David» estava lá."
Depois, os três membros remanescentes do Pink Floyd se apresentaram juntos no palco apenas pela segunda vez nos últimos 30 anos, e a primeira desde o show do Live 8 em 2005. "Foi realmente bom fazer meio que parte daquilo e dar apoio a Roger, não que ele realmente precise disso", disse Mason a respeito do show de quarta-feira a noite, no qual os três tocaram "Outside the Wall." "Suponho que é bom que o Roger queira registrar o David e a mim como parte daquilo, de certa forma. Foi meio que uma coisa mútua: foi bom ter reconhecimento mas também muito bom ir em apoio a Roger e deixar claro que nós não estamos tipo que distribuindo socos nos auditórios. Não o criticamos por fazer aquilo."
Depois da passagem de som, os três se assentaram numa mesa no backstage e fizeram um jantar leve. "Estávamos todos só um pouco nervosos, porque foi um momento antes do show então não foi algo totalmente relaxado, 'Vamos conversar sobre tudo'. Uma vez que o David não tocava a música há muito tempo, ele estava provavelmente preocupado com a tecnologia que iria erguê-lo no muro. É bem assustador lá em cima – eu estive lá uma vez e é um longo caminho até lá em cima."
Em seguida, Mason se recolheu a seu assento no piso da arena, onde fãs o cumprimentaram com entusiasmo, e assistiu ao The Wall pela primeira vez como espectador. "Foi incrivelmente bom", disse ele. "É uma pena, de certa maneira... se você pudesse voltar no tempo e ter acesso àquele tipo de tecnologia há 40, 30 anos atrás teria sido fantástico. Quero dizer, é interessante porqule eu acho que o The Wall foi atualizado. Quando você olha para o palco e para a iluminação de agora, então ofusca tudo o que fazíamos."
A apresentação de Gilmour de "Comfortably Numb" foi magnífica. Então no fim do show Waters convidou Gilmour (desa vez com um mandolin) e Mason (com um pandeiro) para a "Outside the Wall," que tinham pedido que ele tocasse apenas meia hora antes do show. No palco, Waters abraçou Mason e balançou com ele. "Ele quase me derrubou" disse Mason. "Achei que ele fosse me jogar pra fora do palco."
Houve mais troca de palavras no backstage após o show? "Você quer dizer além de 'Cai fora. Te odeio'? 'Nunca mais quero te ver de novo'? Não."
A notícia se espalhou online como fogo fora de controle, o que deixou Mason perplexo. "Por incrível que pareça são só três sujeitos se juntando por um momento, muito esquisito. Mas se é o que as pessoas gostam, então está ótimo." E naturalmente, reacendeu a esperança de uma reunião. E até onde se sabe, Gilmour é o único empecilho a uma reunião dos membros vivos da banda. Mason e Waters já disseram que estão abertos a mais atividades da banda após a apresentação no Live 8 em 2005.
"Acho que particularmente nesse momento o David tem outras coisas com que se preocupar", disse Mason. "Mas também as pessoas mudam de opinião, às vezes estão interessadas em fazer alguma coisa e depois não estão. Acho que vamos ter de esperar em silêncio para ver se o Dave concorda. Acho que há uma possibilidade mesmo que seja, sabe, outro Live 8."
O baterista estará no show desta noite no O2 para ver o The Wall novamente, mas não o esperem no palco. "Foi uma coisa muito legal mas pode virar um clichê se continuarmos subindo em cima do muro e continuássemos nos abraçando no palco. Quero dizer, acho que já basta. Quero dizer, somos ingleses, afinal. Não gostamos muito dessa coisa de abraçar."

Fonte desta matéria (em inglês): rollingstone.com

terça-feira, 17 de maio de 2011

DIVULGADA CAPA DA AUTOBIOGRAFIA DE DUFF MCKAGAN

Como ja noticiado, Duff McKagan ex-baixista do Guns N' Roses ira lançar em outubro a sua autobiografia que se chamara "It's So Easy (And Other Lies)". Hoje foi divulgada a capa do novo livro que você pode conferir abaixo



DJ ASHBA - Axl observou minha carreira durante 10 anos

Segundo publicado no portal blabbermout.net Nui Te Koha do Herald Sun, recentemente conduziu uma entrevista com o guitarrista do GUNS N 'ROSES / SIXX: AM DJ Ashba. Alguns trechos da conversa podem ser vistos abaixo:


Sobre sua infancia 

"Eu tive uma infância muito ruim.(...)]Meu pai era um cara com raiva. Lembro-me que quando eu era pequeno eu tinha medo da morte.(...)"Eu fui julgado toda a minha vida, por causa do que eu faço hoje (tocar guitarra), e eles me julgavam antes de eu me tornar o que eu tornei, as pessoas me olhavam como se eu nunca fosse conseguir, eu tocava música e eu acreditava no meu sonho sem nunca perder o foco. Recebi um monte de críticas por isso. Agora eu vou para casa e é como se eu fosse o herói da cidade O fato é que eu ignorei todos e segui meu coração. - Essa é a chave para alcançar o sucesso"

Sobre perseguir o seu sonho: 

"Eu construí a minha carreira de uma forma orgânica e acho que fiz isso da maneira certa. Recusei uma série de shows ,porque eu achava que eles não estavam certos para mim. Nunca liguei para o dinheiro ou a fama. A unica coisa que eu ligava era em seguir meu coração e ser fiel a quem eu sou.

Sobre tocar no GUNS N 'ROSES: 

"[Guns N 'Roses] fez uma audição a  um ano e meio,eles viram centenas de guitarristas. Era como fazer teste para um papel no cinema. Você tem que ter a aparência certa, a atitude certa...Eu não tinha idéia que eu estava no radar de Axl. Ele me disse: "Eu tenho seguido a sua carreira há 10 anos". Ele sabia tudo sobre mim."

Sobre o SIXX: A.M.: 

"O Sixx: AM é um projeto paralelo, um verdadeiro deleite.Não escrevemos para a rádio.Nós não temos de agradar a ninguém. Nós escrevemos para fazer as pessoas pensarem...."

Sobre sua namorada a atriz australiana e Nicky Whelan: 

"Eu realmente tinha desistido de amor quando me encontrei com Nicky. Eu acreditava que eu iria encontrar uma pessoa para se apaixonarmos e vivermos felizes para sempre, mas depois de anos em Los Angeles, comecei a realmente a duvidar disso na minha mente, então ela surgiu e começou a me dar muito amor. Ela me ensinou que há um monte de amor incondicional por aí, ainda."

Leia a entrevista completa em ingles