terça-feira, 15 de maio de 2012

EUROPE - John Norum não gosta dos anos 80

O site francês Rock One conversou com o guitarrista do Europe, John Norum, uma das perguntas da entrevista foi para qual período do tempo ele voltaria se tivesse uma “máquina do tempo”, surpreendentemente, Norum não escolheu os anos 80, época em que a banda estava no auge e sim o ano de 2004, quando a banda retomou as atividades.

"Bem, esse é o melhor momento da banda. Nos damos muito bem, e temos um grande prazer enquanto estamos fazendo os discos, saindo em turnê e fazendo os shows. Mas se eu tivesse que escolher um período de tempo diferente do que o de agora, escolheria o do álbum “Start From The Dark” (2004), que foi quando nos reunimos.(...) A década de 80 foi a pior época de todas. Foi horrível. Todo o visual daquela época era terrível. Nós nos tornamos uma banda-chiclete, e eu não queria ter nada com aquilo. Eu não sou fã das músicas dos anos 80.Posso talvez citar (o nome) uma ou duas bandas que eu posso ouvir daquela época. Quando os anos 80 terminaram e começou a década de 90 , eu estava muito feliz, o POISON sumiu, CINDERELLA, WARRANT... Todas essas coisas tinham acabado, foi como[suspiro de alívio], 'Oh, finalmente, acabou. Todo esse lixo'. As produções eram fracas, os álbuns soavam mau, as músicas eram farofa . Mas havia umas poucas bandas boas. O GUNS N 'ROSES eram bons. Eles vieram com o seu primeiro álbum em 87, eu acho. Ele ainda é um clássico, um ótimo álbum. O VAN HALEN e o AC/DC fizeram bons álbuns nos anos 80. Mas eles eram diferentes, eles não eram bandas de glam-rock - eram mais elegante... , eles eram músicos melhores. Mas de qualquer maneira, para responder a questão, 2004 foi um grande momento [para o Europa] e 2005. e 2006 e 2007. Até agora"

O nono álbum de estúdio do EUROPE “Bag Of Bones”estrou em 2º lugar nos charts da suecia e na posição 56 dos charts britânicos (que só não são mais importantes do que a Billboard, dos Estados Unidos). Um resultado surpreendente, pois supera Prisioners in Paradise, que tinha sido o último trabalho da banda a atingir o top 100, ficando na posição 61, há mais de 20 anos.