quarta-feira, 9 de maio de 2012

Guns N' Roses - entrevista com Bumblefoot


Os usuários 'Matoshi Yang' e 'LuanVictorxD', do fórum "Guns N' Roses Brasil", conseguiram uma entrevista com o guitarrista Bumblefoot. As 16 perguntas foram elaboradas por eles e por usuários do Gun N' Roses N' Roses Brasil Fórum. Bumblefoot foi muito gentil e até publicou um link do fórum em seu Facebook oficial.

1 – Você já tem vários álbuns e singles na sua carreira solo, você já tem planos para lançar mais materiais ou projetos? Se você for fazer uma turnê para promover, o Brasil estaria na sua lista?

B: Não tenho certeza sobre como o calendário de turnês do ano será, mas felizmente posso continuar escrevendo, produzindo e lançando musicas esse ano... e se eu puder fazer uma turnê com minha banda solo, com certeza absoluta eu gostaria de ir ao Brasil!

2 – Quem são seus ídolos e influências?

B: Começou quando eu era criança com Kiss, pela sua energia, e os Beatles pelo seu amor por música. E também por gênios da guitarra, Eddie Van Halen, Jimi Hendrix, Brian May, tem muitos...

3 – Você tem uma música favorita de seu trabalho solo?

B: É difícil pra mim escolher das minhas próprias músicas... Eu teria que escolher pelos álbuns – Normal, Barefoot, Abnormal, Uncool... e as músicas dos singles que lancei ano passado.


4 – Nós percebemos que você gosta muito da Pantera Cor de Rosa, tem alguma história ou conexão com isso?

B: Eu amo os filmes antigos da Pantera Cor de Rosa, Peter Sellers era fantástico! A música tem um grande sentimento, é uma música muito divertida de tocar. Eu lancei a música no ano passado, no fim da turnê de 2011 (http://www.bumblefoot.com/pinkpanther.html), tem meus amigos de banda do GNR tocando (Eu acho que isso a torna a única música lançado com os atuais membros do GNR... até agora)

5 – Você já considerou usar músicas de sua carreira solo (Normal, Rockstar For A Day, Dash, etc.) como um solo nos shows do Guns N’ Roses?

B: Sim, eu já considerei...

6 – Você quer voltar ao Brasil? Se sim, tem algum lugar particular que gostaria de conhecer?

B: Claro que eu quero voltar! Eu fiz muitos amigos lá, minha esposa também... Eu amaria visitar o norte do país, eu não estive lá ainda.

7 – Como foi a ‘Up Close And Personal Tour’? Foi diferente tocar em locais pequenos?

B: Foi um prazer tocar nesses locais menores e poder ter uma grande conexão com a audiência, poder tocar as mãos direto do palco, eu gostei bastante disso. Quando eu faço shows em grandes palcos longe do público, eu começo a sentir a distância entre nós – foi muito bom voltar a algo tão natural.

8 – Como é o relacionamento entre os membros da banda?

B: Nós nos relacionamos muito bem, haha. Nós fazemos mais do que relacionar, é muito melhor que isso eu fico até feliz em dizer.

9 – O que você espera da turnê Européia? Os fãs podem esperar surpresas?

B: Surpresas não são planejadas, elas simplesmente acontecem. O que eu espero da turnê européia? Sangue, entranhas, e muitas partes de corpos voando no ar. E um clima bem agradável.

10 – Nós teremos mais transmissões ao vivo na turnê européia?

B: Eu não sei se terá alguma transmissão ao vivo dos shows, talvez eu faça uma das minhas transmissões ao vivo, mas nada planejado...

11 – Em muitos fóruns e show sempre existem muitos fãs pedindo para vocês tocarem músicas como There Was A Time, Catcher In The Rye, Oh My God, etc. Por que essas músicas não são tocadas?

B: Eu tocarei qualquer música. Mas é fácil pra mim, meus dedos continuarão trabalhando se eu estiver doente, se eu estiver com sono, mas é diferente quando você precisa cantar por meses. Como cantor na minha banda solo, quando está em turnê, você escolhe músicas que deixarão sua garganta saudável e capaz de fazer toda a turnê. Essas decisões são do cantor, e têm de ser.

12 – Se nos shows do Guns N’ Roses você pudesse fazer seu próprio setlist, como ele seria? Você tocaria alguma música que não está atualmente incluída?

B: Com 25 anos de história, tem muitas músicas para se escolher, eu não sei o que eu mudaria. Talvez mais músicas de Chinese Democracy...

13 – Os fãs brasileiros terão que esperar muito para a banda voltar ao Brasil?

B: Isso cabe aos gestores, agentes de reserva, promotores, os locais e os coordenadores itinerários – eu nunca sei se um show vai acontecer em tal lugar, por que um show não acontece em tal lugar, ou algo sobre como os ingressos estão sendo vendidos. (Você saberá antes de mim – quando os promotores anunciam o show em um país, fãs daquele país descobrem tudo antes de mim...) eu apenas cruzo meus dedos e espero pelo melhor.

14 – Existem planos do Guns N’ Roses lançar algo em breve? Em uma entrevista recente, Richard Fortus disse que a banda está trabalhando no estúdio. Você pode confirmar essa informação?

B: Nos últimos 12 meses eu terminei quatro álbuns musicais – Scarface 'Work Ethic', Alexa Vetere 'Breathe Again' ( http://www.alexavetere.com ), Poc 'Rise Above' ( http://www.pocnation.com ) e minha própria música (http://www.bumblefoot.com/discography.php). Quando chegar a hora de lançar músicas do Guns N’ Roses, é entre Axl, a gravadora, e a administração – espero que eles lancem mais músicas, mas isso não cabe a mim.

15 – O próximo álbum do Guns N’ Roses terá sobras de músicas do Chinese Democracy e novas composições pela formação atual? Na sua opinião, você prefere lançar todo o material que sobrou do Chinese antes de lançar uma composição com a formação atual?

B: Eu adoraria ver todas as músicas da ‘Chinese-era’ lançadas e depois seguir com novas músicas escritas pela banda atual, mas essa é apenas a minha opinião. Eu faço o que quero com minha música própria, não cabe a mim dizer o que deve ser feito com músicas que estavam aí antes de eu chegar.

16 – Qual é seu álbum favorito do Guns N’ Roses?

B: Cada um tem algo especial... Appetite foi extraordinário com certeza... os Illusions tiveram uma melodia extraordinária e composições épicas, e Chinese elevou isso ao extremo, juntando muito disso em cada música... cada uma delas é especial. Como guitarrista, eu amo Chinese Democracy. Ele tem tudo, de melodia até técnica.