quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Ozzy Osbourne comenta seu problema com drogas


Em entrevista ao programa de rádio norte-americano “In The Studio”, Ozzy Osbourne alertou os jovens músicos promissores a abraçarem ao maximo os seus primeiros anos de sucesso, antes que o ego e as preocupações com dinheiro atrapalhem a tragetoria da banda

"Ter um carro, voar de primeira classe, fazer todas essas coisas é emocionante – é um sonho. A primeira parte do sucesso é muito divertida. Os dois primeiros álbuns que gravamos foram ótimos para nós, porque eramos jovens e curtiamos o momento. Então, de repente, tudo se tornou muito serio, as pessoas começam a dizer o que você deve e o que não deve fazer. "

Essa pressão acabou acarretando a infame dependencia de drogas do vocalista, e ele lembra que esse acabou sendo o motivo principal que o levou para fora do Black Sabbath

“No começo, todos tínhamos o mesmo objetivo. Mas com a chegada da fama, aconteceu o inevitável. A verdade é que o sucesso muda as pessoas, é impossível não ser assim. E isso me afetou. Me entupia de cocaína. Essa droga faz com que você saia falando as maiores merdas. Não havia problema no mundo que não se resolvesse em um banheiro de hotel com uma quantia de pó”.

Ozzy reagiu desde a sua maré mais baixa no final da década de 1970, culminando com a gravação de um novo álbum do Sabbath (que será lançado em 2013), o primeiro com o vocalista desde 1978. E ele permanece alerta sobre seus problemas com drogas.

"Eu não sou uma pessoa má, ficando melhor, eu sou uma pessoa doente ficando bem", diz o cantor.

"Tanto a dependência de drogas quanto o alcoolismo são doenças fatais. Eu fui a dois centros de reabilitação e, em seguida voltei a usar. E, em seguida, parei novamente e então comecei novamente.Eu aceitei que eu tenho um problema com drogas e álcool. Que é um grande trampolim, você sabe. Estou muito feliz que eu ainda estou vivo, e também estou muito feliz que eu ainda posso colocar duas palavras juntas."

Sua mensagem para os artistas em ascensão é “Aproveite os primeiros anos, porque eles nunca irão voltar”

Fonte: Classic Rock Magazine